fbpx
obrigatoriedade do tef em alguns estados brasileiros

TEF: Saiba tudo sobre a obrigatoriedade do TEF e como isso impacta o seu negócio.

A Transferência Eletrônica de Fundos, conhecida popularmente como TEF, é um sistema capaz de realizar transações financeiras por meio da troca de informações entre automação comercial da empresa e os responsáveis pela liquidação de pagamentos eletrônicos, como vendas por cartão de crédito, débito ou cartões de benefícios. (Adquirentes, bandeiras e intermediadores)

Ao contrário das famosas maquininhas de cartão, o sistema de TEF permite que as vendas sejam integradas com o próprio sistema de vendas da empresa e que as transações sejam feitas com diferentes bandeiras. Isso acaba sendo muito cômodo para os empresários, já que elimina, por exemplo, a necessidade de organizar todos os comprovantes de pagamento e somar os recibos no final do dia.

Essas maquininhas certamente facilitam a vida dos clientes finais, já que elas, literalmente, vão até o cliente.

Mas, como dito acima, quando analisamos do ponto de vista do lojista, pode não ser algo tão bom assim. Isso se deve, principalmente, ao seguinte fato: o vendedor precisa ficar muito atento à operação, já que todas as entradas são manuais. Assim, aumenta as chances de falhas humanas.

O Decreto 46.087

Publicado em maio de 2018, diretamente pelo Governo do Estado de Pernambuco, o Decreto 46.087 prevê a obrigatoriedade do TEF a partir de 1 de janeiro de 2019.

Pelo menos na região de Pernambuco, a emissão do comprovante de pagamento feito por meio de pagamentos eletrônicos precisa estar vinculada a NFC-e correspondente.

Esse processo ocorrerá por meio da interação entre a solução de pagamento escolhida e o programa emissor do documento fiscal.

Essa obrigatoriedade nasceu da necessidade de lutar contra a sonegação de impostos.

As regras sobre o uso do TEF variam de acordo com cada estado. Isso acontece porque essa tecnologia registra todas as saídas de mercadorias, o que garante uma apuração de impostos mais confiável.

Consulte o documento na integra clicando aqui.

Casos em que o TEF não é obrigatório

Em alguns estabelecimentos o TEF ainda não é obrigatório, como é o caso de bares, restaurantes, lanchonetes e negócios similares que trabalham de alguma forma com a comercialização de alimentos e bebidas.

Empresários sob o regime de Microempreendedor Individual (MEI) também estão isentos, assim como os casos onde a venda é feita fora do estabelecimento.

Em caso de dúvidas, basta consultar o seguinte trecho do Decreto:

Art. 149-B. Fica credenciado, para efeito da dispensa prevista no inciso II do parágrafo único do art. 149-A, o contribuinte que atenda, cumulativamente, as seguintes condições: (AC)

I – seja inscrito no Cacepe com atividade econômica principal classificada em um dos seguintes códigos da CNAE: 5510-8/01, 5510-8/02, 5510-8/03, 5590-6/01, 5590- 6/02, 5590-6/03, 5590-6/99, 5611-2/01, 5611-2/02, 5611-2/03, 5620-1/03, 9312-3/00, 9313-1/00, 9319-1/01, 9321-2/00, 9329-8/01, 9329- 8/02 ou 9329-8/03;

Nos estados onde o TEF não é obrigatório, o próprio software da empresa envia as informações da venda diretamente para a SEFAZ (Secretaria da Fazenda).

Para ter maior certeza sobre o que fazer, a recomendação é sempre consultar seu o seu contador ou especialista na área.

Qual a vantagem do TEF?

Independente de ser obrigatório ou não, grande parte dos empresários acaba escolhendo essa solução, pois ela traz diversos benefícios. No fim do dia, esse caráter “obrigatório” não torna o TEF algo ruim.

As vantagens em escolher esse sistema são tantas que acabam se tornando uma escolha mais do que natural para os donos de negócios.

Veja alguns exemplos:

Aumento de controle das vendas

Como o TEF registra em tempo real todas as operações feitas via cartão, o empresário pode acompanhar tudo o que está acontecendo por meio de um portal digital. É possível filtrar por CNPJ, bandeira, tipo de operação e muito mais.

Diminui o risco de fraudes

Com uma solução tão complexa e segura quanto o TEF, o risco de fraudes diminui bastante. Principalmente quando comparado com os altos níveis de golpes aplicados nas maquininhas tradicionais.

Relatórios mais confiáveis

Como tudo é feito de forma automática e em tempo real, todas as informações estão isentas de erros humanos e falhas semelhantes. Isso torna os dados obtidos muito mais confiáveis e assertivos.

Simplifica a vida do setor financeiro

Com informações mais rápidas, confiáveis e assertivas, a carga de trabalho a ser feita pelo setor financeiro é reduzida, o que acaba liberando espaço para realização de outras tarefas.

Mais autonomia

Com o sistema TEF, o lojista não precisa mais se preocupar em encontrar a maquininha certa para cada tipo de cartão de crédito. Ele pode simplesmente definir qual operadora vai trabalhar com qual bandeira.

Isso torna seu dia-a-dia mais ágil e dinâmico.

A melhor solução

Mesmo sendo algo obrigatório em alguns estados, seus benefícios são muitos, como pôde observar. Portanto, optar pelo TEF acaba se tornando uma escolha natural.

E para garantir que o sistema seja implantado da maneira correta, você precisa contar com um parceiro qualificado para realizar todo esse processo.

E é aí que a PayGo entra em cena.

Com mais de 15 anos de história, somos referência quando o assunto é pagamento eletrônico.

Pensou em pagamento com cartão, pensou PayGo.

Você já usa o sistema TEF em seu negócio? Compartilhe conosco nos comentários!

Comments ( 0 )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Central de Atendimento 0800 727 9904